Acreditamos que isto não é o final, mas apenas o começo de algo que ainda não entendemos. Descansa em paz, Lacerda.


Amigo Adriano Lacerda,

As palavras embargadas que te direi são uma enorme comunhão de sentimentos.

Quando jovem eras um desportista e um companheiro muito apreciado e respeitado. Cada um de nós seguiu o seu caminho. Não esquecendo as nossas raízes, formou-se a Associação dos Antigos Alunos do Colégio de Lamego em 31 de Março de 1982 que tu Adriano foste um dos 25 ilustres fundadores. O objetivo era estabelecer os laços de proximidade e afeto entre a nossa geração e as que a antecederam e sucederam.

Foram criados os corpos sociais com várias direções, que se refundiam por cada três triénios, procurando prestigiar o nosso nobre Colégio, sempre sob a bênção beneditina. Todas elas tinham um denominador comum, Portugal, Venâncio e tu meu querido e grande amigo.

Durante quase 40 anos serviste com entusiasmo, competência e espírito de sacrifício as tarefas que tão bem desempenhavas.

Todos sofremos a tua perda, eu perdi um dos melhores amigos que a minha vida me deu; havia uma grande cumplicidade, um exemplo de como deve ser vivida uma amizade.

À tua família não tenho palavras que a reconforte. Margarida sua companheira de uma vida, seus filhos Daniel e Gustavo, suas netas que tanto o amavam, estão a sentir um desabar de sonhos que os tornam infelizes, sentindo uma inconformada saudade que perdurará por muito tempo, só minorada pelo orgulho de terem como marido, pai e avô um homem bom, com coração simples, de uma pureza e grandeza que ficará para sempre na nossa profunda memória.

Manuel Pinto de Sousa

12 Maio 2020

(Antigo aluno) 

 


Amigo Lacerda,

Saiu do nosso convívio físico o Amigo Lacerda, o Nini, como carinhosamente era tratado por quem mais bem lhe queria. É mais um dos nossos, de entre os melhores, que nos entra, dolorosamente, para o espaço vivo da memória comum, vendo-o com os olhos da alma, com o sorriso do enlevo e com o encantamento da amizade. Vais ter, no firmamento dos homens bons, um lugar privilegiado de lanterna com que nos sentiremos iluminados pelo teu exemplo e pelo teu espírito.

Logo que me chegou a notícia do seu falecimento, escrevi: “Deus está feliz por te ter ao Seu lado. Grato pela lição de vida”. Celebro, com estas singelíssimas palavras, a singularidade da forma como conduzias a vida e a simplicidade como cultivavas afetos, num convívio sereno, compassado, sem alardes, a todos envolvendo com a candura dos teus gestos, com a permanente disponibilidade, com a subtil e aconchegante presença.

O percurso de vida do Amigo Lacerda foi muito para além do longo e esforçado exercício de funcionário público na Câmara Municipal de Lamego ou, durante cerca de catorze anos, de empregado da secretaria do Colégio da Ortigosa, funções, umas e outras, que cumpriu com absoluta seriedade, com reconhecidas capacidade e competência, com honroso comportamento, com o prazer do dever posto ao serviço dos outros e com a simpatia que todos lhe apreciavam.

Por entre tudo o que fez, no contacto com os outros e no desenvolvimento dos projetos comunitários, percebia-se, como matriz essencial, a manifestação concreta e espiritualmente elevada do Amor. Ele amava, acima de tudo, a família, a Igreja, a Cidade e suas instituições que serviu, o Colégio de Lamego, afinal, realidades que, de alguma forma, se constituíam igualmente Família.

Foi na vertente de Amor ao Colégio que mais se cruzaram os nossos interesses comuns e tanto colaborou comigo, como com todos os que foram tendo essa Casa de formação, de educação e de devoção como parte da sua vivência e trabalho. Entusiasticamente acompanhou, na linha da frente, a criação e o desenvolvimento da Associação de Antigos Alunos do Colégio de Lamego, ao longo dos seus mais de quarenta anos de existência, partilhando a sua devoção com a minha, mais de perto, na última década, em que, comigo, pertenceu à Direção. Tanto entusiasmo, tantas grandes e pequenas tarefas!

O Lacerda, o Amigo Lacerda, foi, antes de mais, isso mesmo: Amigo. Elevava ao expoente máximo as caraterísticas da seriedade, do respeito, da solicitude, do trabalho, da lealdade.

Sem vaidades. Com desarmante doçura. Era preciso fazer, o Lacerda logo se predispunha a fazê-lo, qual formiguinha laboriosamente compenetrada, nunca deixando para o dia seguinte o que podia acontecer no próprio dia, ou, mesmo, se isso fosse humanamente viável, no dia anterior.

Respeitado e querido por todos os que tinham o privilégio de o conhecer e de com ele tratar, a todos devolvia o respeito e o afeto, fazendo questão de o demonstrar em todas as ocasiões e também no último momento de cada um, não faltando ao funeral de ninguém.

Se quisermos realçar, entre tudo o mais, a dedicação e o amor ao Colégio de Lamego, basta atentar no facto de, quando, há cerca de quinze dias, foi internado, ter pedido para lhe levarem apenas três livros: as duas Histórias do Colégio, do Padre Matias e do Padre Jorge e o “Outra Vez Coimbra Minha”, de Camilo de Araújo Correia, que eu próprio lhe oferecera.

Amigo Lacerda: Deus deu-te o alívio da morte, porque Deus é dádiva, é Amor. Neste mês de Maria, Senhora de Fátima, Senhora dos Remédios, Senhora da Misericórdia, despediste-te da vida de peregrino na terra, mas, estou certo, acedeste à imortalidade de quem, por obras, por feitos, por exemplos e por elevado espírito, acaba de se tornar eterno. Choro por ti, Companheiro. Até à eternidade, Amigo.

 Peso da Régua, 12 de maio de 2020

José Alberto Soares Marques

(Antigo aluno)

 

  “Aqueles que ensinam a justiça brilharão

como estrelas por toda a eternidade” (Dan. 12,31).

 

Adriano Francisco de Almeida Lacerda

O homem e o amigo

O Lacerda, como era conhecido, frequentou o Colégio de Lamego, na década de cinquenta, sendo orientado pelo Dom Vicente, diretor da época, toda essa geração guarda um respeito “sagrado”, ao seu Mestre.

Foi aí, que se começou a forjar o homem e o amigo, foi aí, que se começou a construir o homem de bem, honesto e amigo do seu amigo. São estes valores que ao longo de toda a sua vida vai praticar, mesmo quando esse agir, lhe vai causar inimizades e dissabores.

São estes valores, nos quais sempre acreditou, que transmitiu aos seus filhos, também eles ex-alunos do Colégio de Lamego, campeões de voleibol, que muito o orgulhava, porque também ele, no seu tempo, fora jogador de voleibol, e nesta circunstância acompanhava esta atividade do Colégio.

Ao longo da sua vida, serviu a cidade de lamego, nas várias agremiações tais como: Bombeiros, Associação de Voleibol de Lamego, sendo um dos seus membros fundadores, Patronato Nuno Álvares, Santa Casa da Misericórdia de Lamego, são algumas da sua intervenção cívica.

Foi este homem simples, dedicado, modesto e humilde, respeitador das tradições do Colégio e de disponibilidade total, para tudo aquilo que fosse preciso fazer.

Na sua simplicidade, na sua alegria em servir, era o irmão “útil”, foi isto que caraterizou o viver do amigo Lacerda, obrigado, pela tua lição de serviço e disponibilidade.

Conheci-o, primeiro como pai, preocupado com a educação dos seus filhos, que seguia atentamente, era exigente com o seu comportamento, mas sempre compreensivo.

Mais tarde, depois de reformado da tesouraria da câmara, como cooperador na secretaria do Colégio, juntamente com o Pe Gonçalino – Dom Tomás – como carinhosamente o tratava. Era de trato fino, fácil, sensível. Tudo o que fazia tinha de ser perfeito.

Depois mais tarde, devido ás funções que exerci, como elemento ativo da Associação dos Antigos Alunos, sempre trabalho de sombra, simplicidade e humilde, a mesma disponibilidade, a mesma alegria em servir, sem nunca regatear fosse o que fosse, para proveito próprio.

A última faceta do seu serviço, nas eucaristias de domingo da Igreja das Chagas, sempre atento, para que tudo corresse bem, e nada falhasse.

Amigo Lacerda, partistes, deixastes saudade e um vazio difícil de preencher, mas lá do alto, porque acreditamos que serás recompensado pelo bem que fizestes, lembra-te dos teus amigos, que ainda peregrinam cá por baixo, para que seu caminhar, seja de paz e harmonia.

Descansa em paz, AMIGO!

D. Avelino Silva, OSB

(Antigo aluno)

Amigos associados da A.A.A.C.L..

Faleceu ontem o antigo diretor da nossa associação, o prestigiado Eng. António Maria Meneses Nogueira, que me acompanhou na Direção de 1993 a 2002, contribuído no engrandecimento desta emblemática instituição.

A morte é sempre cruel, mesmo com 95 anos, porque nos deixa mais pobres de amigos. O seu perfil como homem adaptava-se a um mundo perfeito, que este não o é. A sua alegria de viver, bondade, inteligência, lealdade, humor, espontânea liberdade de dizer o que pensava.

Encantos que mergulham a mim e a quem o conheceu numa grande tristeza.

A Direção da A.A.A.C.L. apresenta à sua dedicada família as mais profundas e respeitosas condolências.

Eng. Pinto de Sousa

07.11.2020

 

FIRMADOS NA SOLIDARIEDADE QUE APRENDEMOS NO COLÉGIO DE LAMEGO ACOMPANHAMO-VOS NA DOR

OS CORPOS SOCIAIS DA AAACL

PAZ A SUA ALMA

Carlos Cardoso

Descansa em Paz!

A Associação dos Antigos Alunos do Colégio de Lamego vem por este meio, deixar aqui, os sinceros pêsames e votos de condolências a toda a sua família.

Os Órgãos Sociais,

AAACL


dr fernando

Fernando D. C. Ferreira, antigo aluno

 Tarde mas justo, este agradecimento ao antigo aluno Dr. Fernando Duval Chaves Ferreira, que gentilmente em 2015, na festa do Antigo Aluno do Colégio de Lamego, ofereceu a esta Instituição este quadro de Aquilino Ribeiro, também este antigo aluno. Dado o valor do quadro, cabe à Associação dos Antigos Alunos do Colégio de Lamego (AAACL) agradecer tão valiosa oferta e enaltecer a generosidade do Dr. Fernando Duval Chaves Ferreira, que com este gesto veio enriquecer, e de que maneira, o acervo cultural do nosso querido Colégio de Lamego. Mais uma vez bem-haja.

Quadro: Retrato de Aquilino Ribeiro

Técnica: Carvão sobre papel

Autor do Quadro: Professor Manuel Casal Aguiar (Prof. Da Escola de Belas Artes do Porto e membro da Fundação Júlio Resende.) Este quadro foi adquirido pelo Dr. Fernando Duval Chaves Ferreira em fevereiro de 1985.

ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA

 CONVOCATÓRIA

Nos termos dos Estatutos convoco os colegas a reuniram-se em assembleia-geral ordinária, no Colégio, no dia 11 de Novembro de 2017, pelas 10,30 horas, com a seguinte

 

ORDEM DE TRABALHOS

 

 Ponto 1 – Apreciação e votação do Relatório e Contas da Gerência referentes ao Exercício de 2016/2017 e do parecer do Conselho Fiscal;

Ponto 2 – Outros assuntos de interesse para a Associação.

 

 

Lamego, 28 de Setembro de 2017

 

O Presidente da Mesa da Assembleia Geral

Manuel José Pinto de Sousa

 

 

Nota: A seguir à reunião terá lugar, como é habitual, o almoço. Agradece-se aos colegas que queiram participar no almoço o favor de se inscreverem com antecedência.

 

Telemóveis para marcação:

Adriano Lacerda – 965811886

Venâncio – 969884733

Pedro Martha – 937083908

Artur Saraiva Pinto -  967043770

José Alberto Soares Marques - 917509199

Manuel Pinto Sousa – 939558610

Paulo Dolores - 917510252

Lançamento do Livro

A Associação dos Antigos Alunos do Colégio de Lamego, vem por este meio convidar todos os antigos alunos, toda a família Beneditina do Colégio de Lamego e toda a população, para o lançamento do último livro do Padre Abel Matias, cujo titulo é:

COMO ERAM DUROS OS CAMINHOS DA GUERRA,

que terá lugar às 15:30h, no dia 31 de Agosto do corrente ano, no Salão Nobre da Câmara Municipal de Lamego, inserido nas festividades da nossa cidade.

Desde já a A.A.A.C.L. agradece a vossa presença.

Merchandising 

Contacte-nos e faça a sua encomenda

Livro